João Batista ou é promessa de Deus ou promessa de oração?

Jeremias 29:13: “E buscar-me-eis, e me achareis, quando me buscardes com todo o vosso coração.”

Estamos semeando e buscando no Senhor. Quando jejuamos, mortificamos a carne e isso dói e “choramos”. Se “matamos”, vamos além da dor e o nome disso é pranto. Existe um tipo de semeadura que sempre dá colheita. Uma parte dela cai pelo caminho, outra nas pedras, outra em espinhos e outra em terra fértil, ou seja, terra que frutifica. Para semear é necessário perder, mas entenda que o seu ganho será, no mínimo, dez vezes maior.

Se não aprendermos a perder, não saberemos o que é ganhar. A Bíblia diz que quando semeamos chorando, colhemos sorrindo. Cuidado com o que você semeia, porque o que você semeia, acontece! Jó semeou no meio de lágrimas. Semear é mais que trazer uma oferta. Semear é muito o que nós falamos. Quando você estiver triste, cuidado com o que você fala porque você vai colher. Entenda que na língua está o poder da vida e da morte.

Nesta vida passaremos por dissabores, lutas e vitórias. Jamais semeie o que não é bom para você. Semeie o melhor! Posso estar no monturo, clamar a Deus, e ainda assim Ele me atende. Que esperança há no meio da angústia? Semeie a sua melhor semente, mas semeie corretamente, com palavras de fé, orações, jejuns e em solo fértil.

Em Marcos 1:2-8 está escrito: “Como está escrito nos profetas: Eis que eu envio o meu anjo ante a tua face, o qual preparará o teu caminho diante de ti. Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor, endireitai as suas veredas. Apareceu João batizando no deserto, e pregando o batismo de arrependimento, para remissão dos pecados. E toda a província da Judéia e os de Jerusalém iam ter com ele; e todos eram batizados por ele no rio Jordão, confessando os seus pecados. E João andava vestido de pêlos de camelo, e com um cinto de couro em redor de seus lombos, e comia gafanhotos e mel silvestre. E pregava, dizendo: Após mim vem aquele que é mais forte do que eu, do qual não sou digno de, abaixando-me, desatar a correia das suas alparcas. Eu, em verdade, tenho-vos batizado com água; ele, porém, vos batizará com o Espírito Santo.”

Esse texto começa com uma profecia. Não importa que o seu nome seja esquecido, mas importa que Deus lembre-se de você. A palavra profética não é nem de Isaías e nem de Malaquias, mas vem do Espírito Santo.

João Batista ou é promessa de Deus ou é promessa de oração. As promessas de Deus não são respostas de nossas orações, mas elas antecedem as nossas orações. Nós pedimos porque Deus nos prometeu. Se Deus diz que vai fazer, produza o que Deus te prometeu, no mundo espiritual, por meio de suas orações. Assim como Elias viu a concretização de sua promessa, assim você verá!

O deserto foi o lugar escolhido para João Batista batizar. E nessa o pastor Aluisio Moraes falou algo que eu nunca havia pensado: “Eu não creio que João estava ali por causa do Jordão, mas o Jordão estava ali por causa dele.” UAU!

Entenda que Deus está comprometido contigo e não com um rio. Se você não estiver disposto a perder a sua cabeça, como João Batista perdeu por causa do Senhor, é porque você nao está comprometido com Deus. Você tem que ser louco e apaixonado por Jesus Cristo. Você precisa fazer loucuras de fé pelo Senhor!

Há uma potestade entre nós chamada Jezabel e não podemos tolerar a esse espírito. A nossa natureza não pode suportar à Jezabel. Esse espírito é mentiroso, enganador e está dentro da igreja também. Não ligue para as críticas. Se preciso for perder a cabeça por causa do Espírito Santo, perca! No meio da aparência de fúria, sejamos misericordiosos. Nunca os indefesos serão feridos, porque Deus é Deus e Ele é manso e humilde de coração.

João Batista se vestia com roupas de pele de camelo, rude, grotesca e, talvez, mal cheirosa. Ele usava um cinturão de couro e fazia uma “dieta” onde só comia gafanhotos e mel silvestre. O gafanhoto é o devorador e se João Batista era um “comedor” de gafanhoto, é porque ele devorava os gafanhotos! A grande característica da abelha é que ela sorve a seiva amarga e a devolve num mel doce. O profeta sorve o amargo que sai de sua boca e devolve o doce para você. Entenda que a seiva não te sustenta, mas o mel te cura!

Metanóia (mudança de mente) era a palavra de João Batista. Ele não se achava digno! Ele não era apenas um profeta, mas a voz que clamava no deserto! Se ele não era digno para desatar as sandálias de Jesus Cristo, quem o seria? A primeira pessoa que deveria desatar as sandálias, seria o anfitrião. Mas quem é o anfitrião? É aquele que recebe a Jesus. Quem O recebe, recebe a honra e o direito de, encurvado, receber a Cristo. Recebê-lo é alcançar um nível inimaginável.

Quando Zaqueu subiu naquela árvore, ele olhou e foi visto também. Cristo o conhecia pelo nome e Ele colheu o fruto que mais gosta, a alma. Aquela árvore estava ali com esse propósito. Há dons, riquezas e tudo o que é necessário esperando um homem que seja digno de usá-los. Quando alguém recebe Jesus, O recebe em sua casa.

Outra pessoa que teve o direito total de desatar sandálias foi a esposa. Quando o marido chegava em casa, a esposa tinha o direito de desatar as sandálias dos pés do marido. Entenda que a esposa tem um direito diferente! O hóspede é recebido pelo anfitrião, mas a esposa é dona do corpo do marido. Uma coisa é você receber a Cristo. E quando você é a noiva, é Cristo quem te recebe. Assim como a esposa deseja coisas do amado, a igreja deveria desejar mais a Deus. Quem ama não busca mãos, busca lábios! Em Lucas 4:4 Jesus Cristo diz: Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra de Deus.

Outra pessoa que teve o direito de desatar sandálias foi o servo. O servo tem o dever de desatar as sandálias de seu senhor. E vale a pena ser servo de Deus! No confronto entre Davi e Golias, venceu o mais jovem. No confronto entre Moisés e faraó, venceu o mais velho, com vida e autoridade. Quando você vence como um jovem, você vence um gigante, mas quando você vence como Moisés, você vence um exercito inteiro. E mais vale ser um Moisés do que um faraó.

Você jamais ganhará algo se não souber perder. João Batista abriu mão do direito sacerdotal dele e ele era da linha sacerdotal dos sumo-sacerdotes! Ele preferiu como Moisés, escolheu o opróbrio. Abriu mão de um ministério para fazer a vontade de Deus. Abriu mão do que era direito dele de nascença. Jesus também fez isso! Ele preferiu uma coroa de espinhos por amor a nós e isso é mais do que perder a cabeça!

Deus precisava de um profeta. E mesmo depois de ter a cabeça cortada a voz de João Batista ecoava, porque abriu mão do ministério que tinha por direito. Paulo, por exemplo, disse: Quero perder tudo para ganhar a Cristo! Você precisa dizer que Deus vale mais do que tudo em sua vida!

Assim se desatam as sandálias de Cristo. Ele nos tornou dignos porque nos fez como servos, como os que recebem e são recebidos por Ele. Toda a coroa que recebemos em vida, um dia, depositaremos aos pés do Senhor. Quem desata as sandálias de Cristo tem a sua vida desatada pelas mãos de Cristo!

Você tem que saber do que abrir mão para receber a glória de Deus. Entenda que Deus te promete GLÓRIA! Suba mais um degrau e ganhe o céu. Quando os céus se abrem vem chuvas de bênçãos sem medida…

Deus vos abençoe.

Flávia Aleixo.

Published in: on fevereiro 24, 2012 at 16:24  Deixe um comentário  

The URI to TrackBack this entry is: https://flaviaaleixo.wordpress.com/2012/02/24/joao-batista-ou-e-promessa-de-deus-ou-promessa-de-oracao/trackback/

RSS feed for comments on this post.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: