Kfouri para Kaká: “É a Fifa que proíbe religião no futebol, não eu”

DURBAN – Esse é um assunto delicado e sério: religião. Tão delicado e sério que é um tabu, quase todos o evitam para escapar à ira de quem crê e também de quem não acredita. Assunto tão delicado e sério que a FIFA proibiu manifestações religiosas coletivas em campo. Isso depois de a Seleção ter orado no gramado do Ellis Park ao final da Copa das Confederações de 2009, Brasil 3, EUA 2, há um ano. Na terça-feira, 22, o maior astro do Brasil, Kaká, trouxe o polêmico tema religião para dentro da Copa do Mundo.

Em resposta a uma notícia dada pelo mais importante jornalista esportivo brasileiro, Juca Kfouri, o meia disse que Kfouri o estaria atacando “por ele ser um cristão e pregar a palavra de Jesus”, enquanto o jornalista é, confessadamente, “um ateu”.

Notando que não havia tantos pruridos e tabus nos tempos (1958, 62 e 70) em que as religiões dos brasileiros nas seleções eram afro-brasileiras; o candomblé, a macumba, este blogueiro, que não é ateu, buscou conversar com o ateu confesso, Juca Kfouri, alvo das palavras de Kaká numa entrevista coletiva transmitida para todo o mundo.

Kfouri que não evita o tema. Ao contrário, tem sido crítico ao que chama de “merchandising religioso”.

É evidente que o mesmo interesse teria, tenho, de ouvir Kaká sobre assunto tão delicado, sério e polêmico. Fica aqui o convite, para quando ele queira.

Vamos à conversa:

– Juca, você informou, com base em suas fontes médicas, que o Kaká poderia estar jogando no sacrifício, como fez o tenista Guga com sua contusão nos quadris, e que isso poderia vir a encurtar sua carreira. A contusão que o Kaká teve, ou tem, é no púbis, mas não é sobre isso que vamos conversar, e sim sobre um assunto muito falado mas pouco debatido, embora já posto em pauta pela própria FIFA ao proibir manifestações coletivas de religiosidade. Falemos sobre esse tema sério e delicado, quase um tabu, que é a Fé, a Religião, e o futebol?

– Falemos, mas antes, o Kaká. Um, o Guga, teve problemas no quadril, o outro no púbis, mas é a mesma dificuldade para se recuperar, tal o ponto em que as coisas chegaram. Guga foi operado e mesmo assim não deu. Há sérias dúvidas se adianta operar o Kaká, aliás como ele mesmo reconheceu na mesma entrevista de terça-feira depois de ter dito, na mesma entrevista, que não tinha dores no púbis…

– O Kaká respondeu dizendo que você se volta contra ele, usa sistematicamente uma “artilharia” porque você é um ateu enquanto ele crê, prega a palavra do Senhor. Você é ateu? Não crê mesmo na Palavra do Senhor?

– Fui formado no Catolicismo, estudei o Catecismo, fui batizado, fiz primeira comunhão, fui crismado, meu primeiro casamento foi na igreja e, de fato, não tenho Fé alguma. Até lamento, porque sei que a Fé conforta as pessoas diante da ideia da morte.

– Mas você nem por um momento,em nenhum instante difícil na vida, admitiu que o Messias já esteve entre nós? Que o Filho cá esteve para nos Salvar?

– Não. Já houve homens formidáveis, generosos, dispostos a dar a vida por Justiça, e talvez Jesus Cristo tenha mesmo sido um deles, mas como foram Gandhi, Mandela… e outros.

– Você já leu, ao menos estudou alguma coisa da Palavra? Você sabe que são quatro os evangelhos canônicos, e que eles são os únicos aceitos como autênticos pela maioria dos cristãos? Ou você nunca sequer passou pelo assunto?

– Passar, passei, mas mais pelo interesse literário mesmo…

– A Bíblia, Juca, é, pode ser uma fonte de sabedoria, você admite?

– Claro, entendida em seu simbolismo.

– Partindo desse pressuposto, de que a Bíblia pode iluminar até um ateu confesso como você, gostaria de propor alguns dos Salmos, das Palavras, para que você perceba se, em ao menos alguma coisa, Elas não se aplicam a você ou, no mínimo, ao que você vive, percebe. Pode ser?

– Vamos lá.

– Comecemos por Lucas 17:1 “Disse Jesus a seus discípulos: É inevitável que venham escândalos, mas ai do homem pelo qual eles vêm!”

– Não é o que a História da Humanidade demonstra. Invariavelmente os que causam escândalos se dão bem, infelizmente.

– Em seguida, o mesmo Lucas, no 17:3 “Acautelai-vos. Se teu irmão pecar contra ti, repreende-o; se ele se arrepender, perdoa-lhe.”

– Veja que também não tem sido esta a prática dos evangélicos da Seleção, como o Jorginho, por exemplo, que vive fazendo provocações. Ou como o Lúcio, que deu no braço do Drogba. Eu não tenho visto este pessoal, o bispo Macedo, a bispa Sônia, oferecerem o outro lado do rosto…

– Uma leitura detalhada de Salmos entre o 35:1 e o 35:7… certamente não foi isso, mas o Kaká poderia perfeitamente tê-los lido antes de dirigir-se a ti. Ouça-os, por favor, e diga-nos se não. Você não poderia ser aí o sujeito ausente, não se enxerga aí?

Salmos 35:1 Contende, Senhor, com os que contendem comigo; peleja contra os que contra mim pelejam.

Salmos 35:4 Sejam confundidos e cobertos de vexame os que buscam tirar-me a vida; retrocedam e sejam envergonhados os que tramam contra mim.

Salmos 35:5 Sejam como a palha ao léu do vento, impelindo-os o anjo do Senhor.

Salmos 35:6 Torne-se-lhes o caminho tenebroso e escorregadio, e o anjo do Senhor os persiga.

Salmos 35:7 Pois sem causa me tramaram laços, sem causa abriram cova para a minha vida.

– Não me enxergo, não. Seria me dar muita importância. Nem eu quero mal, muito menos ao Kaká.

– Não te preocupa, em especial, o Salmo 35: 8? “Venha sobre o inimigo a destruição, quando ele menos pensar; e prendam-no os laços que tramou ocultamente; caia neles para a sua própria ruína”.

– É deveras messiânico, não? De alguém que se imagina O Escolhido, O Filho de Deus! Não, não me assusta, até porque não sou inimigo dos religiosos, minha querida tia Nadir Kfouri foi reitora da PUC paulista e tenho, por exemplo, profundos respeito e admiração por D.Paulo Evaristo Arns. Não sou “contra”, apenas peço que não misturem religião com futebol. A Fifa e eu, aliás. É só isso. E foi a FIFA que proibiu religião no futebol, não eu.

– Parece-me que muitas de suas críticas são não contra a religiosidade de boa parte dos jogadores da Seleção, evangélicos ao menos uma dezena ou mais deles, e são críticas, sim, contra a explicitação ostensiva da Fé? É mais ou menos isso?

– Exatamente. Contra o que chamo de merchandising religioso. Um porre!

– À luz desse raciocínio e da aceitação por ambos –  você sendo um ateu e eu não – de que a Bíblia pode ser uma fonte de sabedoria, o que lhe parecem, por exemplo, as palavras vocalizadas por Mateus?

– Quais das Palavras? Qual Mateus?

– Por exemplo, Mateus 6:2 “Quando, pois, deres esmola, não toques trombeta diante de ti, como fazem os hipócritas, nas sinagogas e nas ruas, para serem glorificados pelos homens. Em verdade vos digo que eles já receberam a recompensa.” E também Mateus 6:4 “Para que a tua esmola fique em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará.”

– Acho brilhante, verdadeiramente inspiradas no que se possa chamar de “cristão”. Mas quem faz assim, desse pessoal que vive alardeando sua generosidade ou, entre os chefes, explorando a Fé e a ignorância alheias? Não critico os que têm Fé, mas sim os que vivem explorando a Fé e os que realmente têm Fé…

– E ainda segundo Mateus, o 6:5 “E, quando orardes, não sereis como os hipócritas; porque gostam de orar em pé nas sinagogas e nos cantos das praças, para serem vistos dos homens. Em verdade vos digo que eles já receberam a recompensa”. Ou ainda o Mateus 6:6 “Tu, porém, quando orares, entra no teu quarto e, fechada a porta, orarás a teu Pai, que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará”.

– É exatamente isso e você não imagina quantas mensagens citando estas Palavras eu recebo quando há este tipo de polêmica. Polêmica que o Kaká levantou exatamente para mudar o foco da notícia.

– Levando-se em conta a proibição de manifestações religiosas de qualquer Fé em campo e esse debate, ou a ausência dele, recordo outras Palavras de Mateus “E, orando, não useis de vãs repetições, como os gentios; porque presumem que pelo seu muito falar serão ouvidos”, ou ainda, no 6:8 : “Não vos assemelheis, pois, a eles; porque Deus, o vosso Pai, sabe o de que tendes necessidade, antes que lho peçais”.

– De novo voltamos ao tema. Para quem crê, se Alguém tudo Sabe por que tanta insistência? Se temos dois times de crentes em campo a pedir, o que, não aos olhos do Senhor, mas aos olhos dos que pedem, o que eles imaginam que se passará? Por que o Senhor escolheria a uns e não aos outros?

– Por Fim, Juca, você não teme, nem por uma fração de segundo, o exposto, por exemplo, no Salmo 41:10? “Tu, porém, Senhor, compadece-te de mim e levanta-me, para que eu lhes pague segundo merecem”.

– Honestamente, por arrogante que pareça, não quero que ninguém tenha pena de mim… não caí para ser levantado e não devo nada a ninguém. Respeito a Fé de quem a tem e quero que me deixem em paz com a minha descrença.

Fonte: Terra

Published in: on junho 24, 2010 at 10:20  Deixe um comentário  

The URI to TrackBack this entry is: https://flaviaaleixo.wordpress.com/2010/06/24/kfouri-para-kaka-%e2%80%9ce-a-fifa-que-proibe-religiao-no-futebol-nao-eu%e2%80%9d/trackback/

RSS feed for comments on this post.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: