Noivos caem em golpe do bufê e família é obrigada a servir convidados

Apaixonados devem prestar atenção antes de fechar um contrato de festa de casamento. Noivas têm seus sonhos estragados, porque empresas de bufê e cerimonialistas não cumprem acordo.

“É um momento que não vai voltar, não tem como a gente fazer tudo de novo, infelizmente tinha que ter sido aquele dia. Não é justo isso! Não foi isso que a gente sonhou”, reclama a comissária de bordo, Andrea Vicente Pereira, que sofreu com a cerimonialista que não cumpriu o prometido para a festa de seu casamento.

Uma festa de casamento é cheia de detalhes: decoração, buffet, docinhos, bolo, música. E justamente alguns casais, para não ter dor de cabeça, contrataram uma assessora, só que essa pessoa que deveria ajudar acabou atrapalhando muito.

“Atrapalhou muito. Nós descobrimos no momento do casamento. Às 17h e descobri que não havia bebida para o meu casamento”, conta o optometrista Everton Vanderley.

“Era a primeira filha que estava casando, minha mãe queria o momento para uma mulher, como essa, estragar tudo”, se revolta a optometrista Fabiana Souza e Silva.

A mulher é Márcia Wendell. Ela também foi contratada para organizar o casamento do engenheiro civil Clayton Bansi e da arquiteta Juliana Teixeira Bansi.

“A gente teve que fazer um casamento de 300 pessoas, que a gente programou em mais de um ano, fazer acontecer em 4 horas”, lamenta Juliana.

Pelo contrato, Márcia era responsável pelos salgados, pelos doces e pela bebida da festa. Não entregou nada. As imagens da festa mostram que os pais dos noivos, padrinhos e convidados tiveram que cozinhar, servir as mesas e depois até lavar os pratos.

“Os garçons são todos bonitos, mas tudo nossos primos servindo”, comenta Clayton. A mãe dele está na cozinha.

A irmã de Juliana é advogada e tenta um acordo com Márcia. A família quer de volta, pelo menos , os R$ 20 mil que acabou gastando no dia da festa, porque o buffet não cumpriu o prometido.

O dinheiro do Clayton e da Juliana não foi usado na festa por quê?

“Porque eu passei os cheques para outras pessoas, e pagando outras coisas e tudo”, explica Márcia.

Festa sem comida

O analista de sistemas Jair Barreto de Vasconcelos e a comissária Andrea também foram vítimas de Márcia Wendell.

“Eram quase 21h e ninguém tinha comido nada”, lembra Jair.

Segundo os noivos, a assessora disse que o caminhão do churrasco tinha sido roubado. Um padrinho teve que correr para comprar a carne.

“Eu estava quase pedindo uma pizza para servir minha baixinha que ela estava com fome e estava quase chorando”, revela o padrinho José Cordeiro Lopes.

Quando José voltou, a assessora lhe pagou a despesa com um cheque sustado. O vídeo da festa mostra outros problemas: os convidados já tinham chegado e funcionários ainda pregavam a cortina, passavam com escada e caixas. Parte da decoração estava espalhada na grama.

“Eles estavam muito envergonhados os meus pais, e eu ia cumprimentar meus tios, eles muito chateados”, diz a comissária Andrea.

Márcia chegou a confirmar duas vezes que falaria com a reportagem do “Fantástico”. Mas, depois, por telefone, cancelou e não apresentou defesa sobre as acusações.

“Eu não vou expor minha imagem”, justificou a cerimonialista.

Sonho destruído

Silvia e Júnior também não tiveram o casamento que queriam. A empresa Kit Festa Sonho Real só entregou a comida depois que muitos convidados já tinham ido embora.

“Para uma mulher, a parte mais esperada da vida dela é o casamento e eles conseguiram destruir este meu sonho”, fala a assistente de advocacia Silvia Maira Almeida Evangelista Latuf.

A empresa alega que a noiva deu o endereço errado e que o motorista tentou entrar em contato, mas não conseguiu. “Eles tinham os meus telefones, ninguém ligou”, completa Silvia.

Cuidados para não errar

Você está pensando em se casar? Então, preste atenção nessas dicas: pesquise todos os dados da empresa, peça referência a outros casais, busque reclamações ou denúncias na internet, consulte o site do Ministério da Justiça ou o do Procon do seu estado.

“Aí entra uma outra grande dica: que é preparar com antecedência”, indica a advogada da Pro-Test Polyanna Carlos Silva.

Faça um contrato minucioso: descreva todos os itens como a marca das bebidas, quantidade de doces. Especifique horário para entregas e para que a comida seja servida. Se o contrato não for cumprido, o casal deve ir à Justiça.

“Ele pode pedir todo o reembolso e ainda indenização por dano moral”, indica Polyanna.

É o que a professora de inglês Marjory Abulec e Marcelo estão tentando receber há um ano e meio. O casamento seria no Buffet Delphos, que foi lacrado uma semana antes da festa pela prefeitura de São Paulo.

“Na hora de comprar um sonho esqueçam um pouquinho dele e pensam no lado prático. A emoção que a gente não pôde curtir no dia, isso não volta nunca mais”, conclui Marjory.

“A emoção que a gente não pôde curtir no dia, isso não volta nunca mais”, alerta Marjory.

Ao todo, 21 casais registraram ocorrência na polícia contra o Delphos. Em nota, o advogado de defesa do Delphos informou que o buffet já fez acordo com 80% dos clientes lesados.

Fonte: G1 / Fantástico

Anúncios
Published in: on maio 3, 2010 at 10:15  Deixe um comentário  

The URI to TrackBack this entry is: https://flaviaaleixo.wordpress.com/2010/05/03/noivos-caem-em-golpe-do-bufe-e-familia-e-obrigada-a-servir-convidados/trackback/

RSS feed for comments on this post.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: